Proteção Integrada

A proteção integrada consiste na avaliação ponderada de todos os métodos de proteção das culturas disponíveis e a integração de medidas adequadas para diminuir o desenvolvimento de populações de organismos nocivos e manter a utilização dos produtos fitofarmacêuticos e outras formas de intervenção a níveis económica e ecologicamente justificáveis, reduzindo ou minimizando os riscos para a saúde humana e o ambiente, privilegiando o desenvolvimento de culturas saudáveis com a menor perturbação possível dos ecossistemas agrícolas e agroflorestais e incentivando mecanismos naturais de luta contra os inimigos das culturas.

A aplicação deste método de produção traduz-se na produção de produtos agrícolas de melhor qualidade, reconhecidos pela qualidade associada aos serviços ambientais que incorporam, compatíveis com a protecção e a melhoria do ambiente, da paisagem e dos recursos naturais.

A Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) é a entidade que estabelece os princípios, orientações e normas técnicas necessárias à proteção integrada das culturas ou grupos de culturas.

A prática da proteção e produção integradas pressupõe que técnicos e agricultores tenham conhecimentos específicos.Face à necessidade de conhecimentos específicos para o exercício da produção integrada é importante que os técnicos e agricultores frequentem ações de formação.

A formação sobre proteção integrada e produção integrada, para agricultores e para técnicos, encontra-se regulamentada pelo Despacho n.º 899/2015, de 16 de janeiro.

Essa formação deve ser realizada por entidades formadoras certificadas e as ações de formação, quando se destinam a agricultores, homologadas pelas DRAP, ou pela DGADR, quando se destinam a técnicos.

Os programas de formação para agricultores poderão ser consultados em Formação profissional regulamentada pelo MAFDR. As ações destes cursos podem ser efetuadas com base em Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) que integram o Catálogo Nacional de Qualificações, em A Qualificação para o Setor Agroalimentar, poderá identificar a conjugação de UFCD consideradas equivalentes aos cursos regulamentados pelo MAFDR e que são igualmente reconhecidos por este.

Os programas de formação para técnicos poderão igualmente ser consultados em Formação Profissional regulamentada pelo MAFDR.

Na área da Proteção Integrada há uma listagem de técnicos com formação regulamentada para prestar o apoio técnico aos agricultores, que pode consultar o no sítio da internet da DGADR – Lista de Técnicos com Formação Regulamentada.

Esta Formação Regulamentada está consubstanciada no Decreto-lei n.º 37/2013, de 13 de março, procede à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 256/2009, de 24 de setembro, que estabelece o regime das normas técnicas aplicáveis à proteção integrada, à produção integrada e ao modo de produção biológico.

Para informações consultar, a título de exemplo:

DGADR – Proteção Integrada

Direção Regional de Agricultura e Pescas – Norte

Direção Regional de Agricultura e Pescas – Centro

Fitossanidade – DGAV

Produtos Fitofarmacêuticos – DGAV

Fitorrega

Produtos Fitofarmacêuticos e Pesticidas – Comissão Europeia

Outras ligações úteis:

Manual de Proteção Integrada

Revista de Ciências Agrárias

Manual de Proteção Fitossanitária para Proteção Integrada e Agricultura Biológica das Oleaginosas

Manual de Proteção Fitossanitária para Proteção Integrada e Agricultura Biológica do Olival

Manual de Proteção Fitossanitária para Proteção Integrada e Agricultura Biológica das Prunóideas

Manual de Proteção Fitossanitária para Proteção Integrada e Agricultura Biológica da Videira

Tomate de indústria em proteção integrada