Rega das Culturas

A água, o solo e a planta são os três suportes principais da agricultura em geral.

Dado que a água é um fator de produção determinante para a competitividade de muitos produtos, o fornecimento de água com qualidade e regularidade às culturas, por forma a colmatar as necessidades hídricas das culturas permite aumentar a produção.

A distribuição da água de rega deve efetuar-se tendo em atenção a cultura, a fase de desenvolvimento, a época do ano, o tipo de solo as condições culturais etc.

Para o cálculo das quantidades de água a aplicar às culturas tomam-se como referência, em geral, os valores da evapotranspiração das culturas.

A instalação de tensiómetros, e sondas de monitorização da humidade no solo são instrumentos a que se pode recorrer para apoio e orientação da dotação e frequência das regas.

Há diferentes tipos de rega das culturas, consoante o tipo de cultura que se pretende regar, a título de exemplo podemos mencionar: a rega localizada, a rega gota a gota, por microaspersão, neste tipos de rega, a área de solo molhado é claramente menor do que pelos métodosOdivelas Canal fim clássicos (alagamento, aspersão etc.). Assim, na prática, a evapotranspiração é menor quando se utilizam técnicas de microirrigação.

O abastecimento em água à exploração agrícola pode ser feito de forma individual ou de forma coletiva.

O abastecimento individual pode ter diferentes origens como por exemplo albufeiras, captações de água subterrâneas. Neste último caso, a realização dos trabalhos necessitam de alguns pré-requisitos.

 A rega individual poderá ser realizada recorrendo a captações subterrâneas particulares já existentes ou recorrendo a novas captações, nomeadamente furos, poços e minas.

O licenciamento das entidades que exercem atividades de pesquisa e captação de águas subterrâneas é estabelecido pelo Decreto-Lei n.º 133/2005, de 16 de agosto, alterado pelo Decreto-Lei n.º 84/2011, de 20 de junho.

xevora Barragem Abrilongo fimNo que diz respeito ao abastecimento coletivo, as explorações podem, por exemplo, ser abastecidas a partir de uma rede coletiva de distribuição, a qual é eventualmente gerida por uma associação de regantes.

Qualquer utilização dos recursos hídricos, que não esteja incluída no artigo 58.º da Lei da Água (uso e fruição comum), implicará a solicitação de licenciamento à entidade licenciadora que avaliará o respetivo impacte e o título mais adequado.

A entidade competente, em Portugal Continental, em matéria de licenciamento dos recursos hídricos é a Agência Portuguesa do Ambiente, I.P., através dos Departamentos de Administração de Região Hidrográfica.

A água tem um papel central nos ecossistemas naturais e na regulação climática, gerando e mantendo crescimento económico e prosperidade e apesar de a sua disponibilidade ser especialmente vulnerável às alterações climáticas e às acções antrópicas.
Para proteger a saúde das pessoas, o abastecimento de água, os ecossistemas naturais e a biodiversidade, é muito importante que as águas se encontrem num bom estado ecológico e químico. Efectivamente todas as sociedades utilizam a água para gerarem e manterem o crescimento económico e a prosperidade, em domínios como a agricultura, a pesca comercial, a produção de energia, a produção industrial, os transportes e o turismo.
Nesse sentido, a Comissão Europeia e o Conselho Europeu criaram um quadro de acção comunitária no domínio da política da água Directiva Quadro da Água com que se pretende defender regulamentando, este recurso crucial para a Humanidade. Esta directiva foi transposta para o quadro jurídico português através da Lei n.º 58/2005 de 29 de dezembro.

Também se podem utilizar águas residuais tratadas para efeitos de rega.

Medidas de Apoio aos agricultores no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural – Continente PDR 2020

Apoios PDR 2020:

Medida 3. Valorização da Produção Agrícola

  • Ação 3.2. Investimento na Exploração Agrícola

Operação 3.2.1. Investimento na Exploração Agrícola

Operação 3.2.2. Pequenos Investimentos nas Explorações Agrícolas

  • Ação 3.4. Infraestruturas Coletivas

Operação 3.4.1. Desenvolvimento do Regadio Eficiente

Operação 3.4.2. Melhoria da Eficiência dos Regadios Existentes

Operação 3.4.3. Drenagem e Estruturação Fundiária

  • Ação 7.5. Uso Eficiente da Água

Operação 7.5.1. Uso Eficiente da Água

Para mais informação pode consultar: